Portal COVID 19

Principal Atualizado em 5/06/20 - 10h21

Recuperados da Covid-19 podem fazer doação de plasma

Hemocentro registra primeira coleta realizada na quinta-feira (4). Material foi doado por um médico

 

5/6/20  8:46 AGÊNCIA BRASÍLIA * | EDIÇÃO: CHICO NETO

 

A Fundação Hemocentro de Brasília fez, na quinta-feira (4), a primeira coleta de plasma de pessoa recuperada de Covid-19. O material será utilizado na pesquisa desenvolvida pelo Hemocentro, pela Universidade de Brasília (UnB) e pela Secretaria de Saúde (SES) com o objetivo de testar a eficácia desse componente no tratamento de pacientes internados com a doença em estágio moderado, a fim de verificar se há redução no número de casos que evoluem para formas graves.

 

O primeiro doador voluntário foi o anestesista Lucas Valente, 29 anos. “Eu quis me inscrever na pesquisa para ajudar”, conta. “A Covid-19 é uma doença solitária. O paciente fica isolado em um ambiente estranho; as pessoas se isolam para se proteger. É triste.”

 

Os primeiros sintomas – febre e tosse – surgiram no início de abril. O médico acredita que pegou o coronavírus no trabalho, durante o cuidado aos pacientes. “Fico feliz em participar do estudo, principalmente porque ainda não temos um medicamento para a doença, e o plasma pode ser um caminho”, destaca.

 

Atendimento ampliado

 

O diretor executivo do Hemocentro, Alexandre Nonino, pretende aumentar o número de coletas diárias. “A doação ocorreu como esperado”, relata o diretor-executivo do Hemocentro Alexandre Nonino. “Temos capacidade para aumentar o atendimento e ter mais plasma armazenado para cobrir a demanda da pesquisa”.

 

Após passar por testes sorológicos, o plasma doado será encaminhado à área de processamento do Hemocentro, onde a amostra deverá ser fracionada, rotulada e congelada. As unidades de plasma convalescente são armazenadas em um local separado dos demais hemocomponentes e identificadas com etiquetas específicas, conforme orientação do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

O material será aplicado em 100 pacientes maiores de 18 anos internados em unidades de saúde do DF por Covid-19 em grau moderado, desde que eles ou seus familiares tenham consentido formalmente com a participação na pesquisa. A equipe de pesquisa vai acompanhar o estado de saúde dos pacientes e avaliar a eficácia e a segurança do tratamento.

 

Coleta do plasma

 

Pessoas que tiveram Covid-19 possuem anticorpos capazes de combater o vírus; eles são encontrados no plasma sanguíneo. Em pesquisas anteriores relacionadas a outras doenças virais, foi constatado que pacientes demonstraram melhora do quadro clínico após receber o plasma de pessoas recuperadas. Ainda não há evidência clínica de que o plasma convalescente de Covid-19 seja eficaz no tratamento de pacientes infectados com coronavírus.

 

A doação de plasma é um pouco diferente da doação tradicional de sangue. A coleta é feita por meio de aférese, procedimento no qual a separação de componentes do sangue é feita por centrifugação, por meio de um equipamento automatizado. O sangue do doador é captado por uma máquina que separa apenas o plasma na bolsa de coleta e devolve o sangue de volta ao organismo.

 

O volume de plasma a ser coletado é de 500ml a 600ml, dependendo do peso do doador, e o procedimento leva entre 60 e 90 minutos. Na doação de sangue, o volume total doado varia entre 405ml e 470ml e a coleta acontece em cerca de dez minutos.

 

A doação de plasma é feita para fins específicos de pesquisa e não deve ser confundida com a doação tradicional de sangue. Pessoas que tiveram Covid-19 estão impedidas de doar sangue por 30 dias após o desaparecimento completo dos sintomas. Não será extraído plasma da doação tradicional de sangue para utilização no estudo.

 

Como ser voluntário

 

O cadastro para ser voluntário na pesquisa deve ser feito no site do Hemocentro. O interessado precisa ter entre 18 e 60 anos de idade, pesar no mínimo 60kg, ter diagnóstico laboratorial confirmado de infecção por Sars-Cov-2, estar sem sintomas de Covid-19 há pelo menos 15 dias e não ter tido manifestações graves em função da doença (choque séptico, parada cardíaca e/ou intubação traqueal/respiratória).

 

O voluntário também precisa atender as condições básicas para doação de sangue e atentar aos impedimentos ao ato. Se for mulher, não pode ter histórico de gestações.

 

Os candidatos à doação de plasma não devem comparecer ao Hemocentro: a recomendação é aguardar contato da equipe de pesquisa para agendar uma entrevista. Serão avaliados outros aspectos clínicos e coletadas amostras de sangue para exames. Com base nesses resultados e no cumprimento dos demais critérios da pesquisa, a doação de plasma será agendada.

 

Com informações da Fundação Hemocentro

AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTE SITE SÃO OFICIAIS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL.
Denúncias e reclamações

Site: www.ouvidoria.df.gov.br

Telefone: 162

Pedidos de acesso à informação: www.e-sic.df.gov.br

Em caso de suspeita: Ligue 190, 193 ou 199

Sites confiáveis para notícias sobre o coronavírus

Agência Brasília: agenciabrasilia.df.gov.br

Secretaria de Saúde do Distrito Federal: www.saude.df.gov.br