Portal COVID 19

Principal Atualizado em 22/07/20 - 18h15

Cartilha de segurança para bares e restaurantes

Elaborado pela Vigilância Sanitária, documento detalha protocolo para o correto funcionamento do setor, priorizando o combate à Covid-19

 

22/7/20  17:28   FLÁVIO BOTELHO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: CHICO NETO

 

A autorização para o retorno das atividades de bares e restaurantes completa uma semana nesta quarta (22). A reabertura desse setor do comércio foi condicionada pelo GDF ao cumprimento de um rigoroso protocolo de segurança, desenvolvido pela Vigilância Sanitária e obrigatório para todos os estabelecimentos comerciais do tipo durante o período da pandemia da Covid-19 no DF.

 

As orientações constam na Nota Técnica nº 51/2020, expedida pela Gerência de Alimentos da Vigilância Sanitária, órgão vinculado à Secretaria de Saúde (SES). No documento, 69 itens detalham o protocolo seguro para manipulação de alimentos – tanto em depósito quanto no preparo –, regras de higienização de funcionários e de toda a estrutura física dos locais, além de recomendações sobre como gerir o funcionamento de forma segura e evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

 

Servidores da Vigilância Sanitária e do DF Legal integram equipes da força-tarefa criada para fiscalizar o cumprimento dos protocolos de segurança nos bares e restaurantes. “A maioria dos estabelecimentos tem se esforçado”, informa o gerente de Alimentos da Vigilância Sanitária, André Godoy. “Tivemos até agora poucas autuações; tem sido feito muito trabalho de orientação”.

 

O retorno seguro das atividades, com a conscientização sobre os procedimentos necessários para tal, também norteia o setor de bares e restaurantes do DF. “Tanto os empresários quanto a população têm que agir com prudência, seguir as regras”, ressalta o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do DF (Abrasel-DF), Beto Pinheiro. “Nosso apelo é que todo mundo leve a sério, para podermos seguir funcionando com cautela e com bastante responsabilidade”.

 

Notificações e vigilância

 

Além da fiscalização nos estabelecimentos pelo poder público por meio da força-tarefa, tanto o próprio empresariado quanto os clientes têm o papel de auxiliar nessa missão. “O maior fiscal nesse momento é o próprio consumidor consciente”, ressalta André Godoy. “Recomendamos que, caso o cliente flagre o descumprimento dos protocolos de segurança sanitária, entre em contato com a Ouvidoria do GDF e registre a ocorrência”, ressalta André Godoy.

 

“O maior fiscal nesse momento é o próprio consumidor consciente” André Godoy, gerente de Alimentos da Vigilância Sanitária

 

“Se identificarmos empresários que tentarem burlar as recomendações, seremos os primeiros a denunciar”, pontua o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), Jael Antônio da Silva. “Não podemos deixar uma minoria atrapalhar essa reabertura responsável. Há uma aceitação entre empresários e clientes, e os estabelecimentos estão adotando a abordagem com educação. Existe um decreto que tem que ser cumprido e respeitado.”

 

Beto Pinheiro reforça o pedido de que a população colabore. “É importante que a população tenha paciência, pois não estamos vivendo um momento normal”, adverte. “Temos que ter consciência, não podemos baixar a guarda. A orientação é não servir clientes em balcão ou em pé, e a venda dos produtos deve acontecer somente em mesa”.

AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTE SITE SÃO OFICIAIS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL.
Denúncias e reclamações

Site: www.ouvidoria.df.gov.br

Telefone: 162

Pedidos de acesso à informação: www.e-sic.df.gov.br

Em caso de suspeita: Ligue 190, 193 ou 199

Sites confiáveis para notícias sobre o coronavírus

Agência Brasília: agenciabrasilia.df.gov.br

Secretaria de Saúde do Distrito Federal: www.saude.df.gov.br