Portal COVID 19

Principal Atualizado em 17/08/20 - 16h40

Rede Pública de Saúde tem 421 voluntários profissionais em atuação

Áreas estão abertas para receber colaboradores para diversos serviços e contribuições sociais

 

17/8/20  14:46   AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: FREDDY CHARLSON

 

Quatro anos após a regulamentação do trabalho voluntário na Rede Pública de Saúde do Distrito Federal, mais de 5 mil pessoas já atuaram nesse segmento. Em 2016, a medida regularizou a situação dos voluntários sociais atuantes na época e abriu as portas para o Voluntariado Profissional. Hoje, essa modalidade é vista por muitos como a porta de entrada para o mercado de trabalho e possui 421 pessoas atuando na Secretaria de Saúde.

 

A maior parte dos voluntários profissionais atua na área de saúde, sendo a enfermagem a especialidade com maior número de voluntários. A Gerência de Voluntariado (Gevol) é a responsável pelas diretrizes e orientações do trabalho nas unidades. O serviço é pautado pela vontade do cidadão em ajudar e se sentir altruísta com a sua atividade em relação ao próximo.

 

16 anos é a idade mínima para ser voluntário

 

São trabalhos que compreendem desde o corte de cabelo em um paciente até serviços na área médica. Com a pandemia de Covid-19, o Governo do Distrito Federal fez um chamamento público para voluntários e vários profissionais apresentaram-se para atuar nas unidades.

 

Marcilene Frazão, gerente de voluntariado, esclarece que todas as áreas da Saúde estão à disposição para receber voluntários. “Estamos de portas abertas para a contribuição de qualquer pessoa seja ela no seu ramo profissional ou social. Temos cabeleireiros, contadores de histórias, médico e arquiteto também. É uma gerência diferente porque voluntariado é se doar, é sinônimo de amor. Isso é um trabalho único que gera uma corrente do bem”, explica.

 

Rede

O Hospital Regional de Taguatinga é a unidade que mais possui voluntários, seguido do Hospital Regional de Samambaia e Hospital Regional de Ceilândia. Todos cumprem a carga horária acordada e recebem uma certificação sobre o serviço prestado. Futuramente, podem utilizar, inclusive, para concursos ou processos seletivos, que preveem esse tipo pontuação.

 

A exigência mínima da carga horária é de 30 horas semanais. O Termo de Adesão tem validade de até um ano, prorrogável por iguais e sucessivos períodos, mediante assinatura de termo aditivo. A frequência da prestação do serviço voluntário poderá ser livremente ajustada entre a unidade de saúde e o voluntário, de acordo com a conveniência de ambas as partes.

 

Oportunidade

Nelkstefane Miranda é enfermeira voluntária no HRT e atua na Nefrologia e pronto-socorro. Em um ano de atuação, já passou por outras áreas como a clínica geral. Acumula 1.882 horas de trabalho voluntário e almeja fazer residência na área de UTI. Ela renovou o seu termo de adesão e enxerga a oportunidade como forma de ampliar o aprendizado e conquistar novas vagas no mercado de trabalho.

 

“Mesmo formada, achei que o meu estágio ainda não me dava segurança plena. Com isso, vi na área do voluntariado uma opção rica para ter mais conhecimento e prática. Os profissionais ajudam muito e em todos os setores que eu passei, fui bem acolhida”, afirma.

 

Leia também

Voluntariado em Ação é referência nacional e tem mais de 26 mil cadastrados

Brasília Ambiental abre inscrições para o Projeto Voluntariado

Caesb participa de debate sobre voluntariado 

 

Paulina Pires, chefe do Núcleo de Educação e Promoção à Saúde do HRT, concorda que o processo de troca é enriquecedor e marca a vida das pessoas. A profissional também já encontrou com alguns deles empregados. Na pandemia, Paulina faz reuniões virtuais com possíveis candidatos para tirar dúvidas e esclarecer pontos importantes sobre a atuação e compromisso com o posto.

 

“É gratificante você ver esses profissionais buscarem a Secretaria de Saúde para tal experiência. Você acompanha o crescimento deles dentro da profissão e percebe a diferença desde quando chegam até o desligamento. Além de conhecer várias pessoas, é um momento marcante para ambos e que lá na frente nós estaremos na história deles”, destaca.

 

Como participar?

cadastramento pode ser feito no site. Ao entrar, o interessado deve procurar, na página principal, a aba: “Projetos e Ações do Governo”. No espaço, deve pesquisar os projetos e ações desenvolvidos por título, por eixos, por público e por local. Em seguida, procurar os projetos desenvolvidos pela Secretaria de Saúde e, caso preencha os requisitos, clicar na função “Candidate-se”. Após essas etapas, basta aguardar o contato dos coordenadores com as informações sobre a participação do candidato.

 

Quem pode ser voluntário na Saúde?

Para ser voluntário na Rede Pública de Saúde do Distrito Federal é preciso ter mais de 16 anos, tempo disponível e vontade de ajudar. Podem ser pessoas comuns, servidores inativos e integrantes de organizações sociais. Pessoas com formação específica podem atuar como voluntários profissionais. Servidores da Secretaria só podem participar do programa como voluntários sociais.

 

Na Saúde, há dois modelos de voluntariado: o voluntariado social e o voluntariado profissional:

 

-Voluntário social são atividades desenvolvidas em favor dos pacientes, cuidadores, familiares e comunidades da unidade alvo das ações. Exemplo: atividades lúdicas, recreativas, pedagógicas, artísticas e culturais, promoção de eventos beneficentes, celebração de datas festivas para a comunidade.

 

-Voluntariado profissional é específico para profissionais com formação na respectiva área que pretende atuar.

 

Onde pode ser feito?


Em qualquer unidade da SES/DF – Hospitais, Policlínicas, Centros de Atenção Psicossocial, Unidades Básicas de Saúde, Laboratórios, Administração Central (ADMC) nas áreas de gestão entre outras.

 

Questão legal

O voluntário não substitui o contratado, nem gera vínculo empregatício. O serviço de voluntário está disciplinado pela Lei nº 9.608/98, Lei n° 3.506/20.

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTE SITE SÃO OFICIAIS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL.
Denúncias e reclamações

Site: www.ouvidoria.df.gov.br

Telefone: 162

Pedidos de acesso à informação: www.e-sic.df.gov.br

Em caso de suspeita: Ligue 190, 193 ou 199

Sites confiáveis para notícias sobre o coronavírus

Agência Brasília: agenciabrasilia.df.gov.br

Secretaria de Saúde do Distrito Federal: www.saude.df.gov.br