Portal COVID 19

Principal Atualizado em 20/08/20 - 9h53

Entenda os números de novos casos e óbitos da Covid-19

Em coletiva, secretários de governo esclarecem e analisam a evolução e os impactos da pandemia

 

19/8/20  19:56 JÉSSICA ANTUNES, DA AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

 

O Governo do Distrito Federal vai tornar ainda mais clara a divulgação dos dados relacionados à Covid-19, separando todos os óbitos diários conforme registros em cartório. A medida permitirá melhor análise da evolução da pandemia no território distrital, que tem um dos menores índices de letalidade pela doença do Brasil. Segundo a Secretaria de Saúde, não faltam leitos para tratamento e adequações ocorrem sempre que necessário.

 

“A letalidade do DF é uma das menores do país e isto precisa ficar claro”, garantiu o secretário de Saúde, Francisco Araújo, durante entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira (19), no Palácio do Buriti. Conforme os dados da pasta, o maior número de óbitos em um mesmo dia ocorreu em 9 de julho, no pico da pandemia, quando 41 vidas foram perdidas por causa da doença.

 

Na segunda-feira passada (17), no entanto, apenas uma morte em virtude da doença ocorreu na capital. A partir de agora, o governo vai divulgar o número diário de óbitos, além de contabilizar os registros realizados nos cartórios.

 

O Subsecretário de Vigilância à Saúde, Eduardo Hage ressaltou que o problema de sub-notificação de óbitos é muito menor no DF que em outros estados: somente 3,9% dos óbitos não são testados com exame PCR para detecção do vírus causador da Covid-19. Nesses casos, são usadas alternativas como tomografias computadorizadas compatíveis.

 

Confirmação de casos

 

Os casos confirmados só entram na estatística após investigação epidemiológica. As notificações partem de todas as unidades de saúde do DF, públicas e privadas, e são enviadas para o Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), que verifica e consolida as informações para evitar erros e duplicações.

 

São fontes os dados enviados pelos laboratórios que realizam o teste RT-PCR e os exames realizados nas unidades básicas de saúde (UBS), unidades de pronto atendimento (UPA), hospitais e demais locais que realizam os testes. Com base em tudo isso são produzidos boletins diários.

 

Leitos de UTI

 

No início da pandemia, a Secretaria de Saúde fez três projeções de aberturas de leitos, que variaram de 700 a mil pontos públicos e privados. Com isso, trabalhou-se em ampliação e, segundo os gestores da pasta, as estimativas se confirmaram. Hoje, são 730 leitos de UTI Covid na rede pública, além de 230 no setor privado, com 68% de ocupação.

 

Recentemente também entregues 84 leitos no hospital da Polícia Militar e novos serão inaugurados. No hospital no Complexo Penitenciário da Papuda, serão mais 40 leitos. No Hospital de Campanha de Ceilândia, outros 20 com suporte respiratório. “Enquanto durar a pandemia a secretaria estará abrindo leitos fazendo adequações nas unidades”, avisou o secretário.

 

Francisco Araújo esclareceu que só o médico pode direcionar um paciente dentro da rede. “Muitas vezes, na maioria delas, o paciente não é direcionado para um leito de UTI porque não tem condições clínicas disso. Não faltam leitos”, cravou.

 

Ainda assim, os cuidados devem continuar. “A população tem que ter cuidado com o maior bem, a vida. O pior momento da pandemia é quando o cidadão acha que está tudo bem”, aconselhou o secretário de Saúde.

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTE SITE SÃO OFICIAIS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL.
Denúncias e reclamações

Site: www.ouvidoria.df.gov.br

Telefone: 162

Pedidos de acesso à informação: www.e-sic.df.gov.br

Em caso de suspeita: Ligue 190, 193 ou 199

Sites confiáveis para notícias sobre o coronavírus

Agência Brasília: agenciabrasilia.df.gov.br

Secretaria de Saúde do Distrito Federal: www.saude.df.gov.br