Portal COVID 19

Principal Atualizado em 9/09/20 - 7h52

Atenção domiciliar evita internações e infecções

Conheça a rotina dos profissionais que fazem visitas domiciliares para atender pacientes que necessitam de cuidados especiais

 

8/9/20  18:47 AGÊNCIA BRASÍLIA * | EDIÇÃO: RENATO FERRAZ

 

Na tarde da quinta-feira (3) a equipe do Núcleo de Atenção Domiciliar (NRAD) do Paranoá parte para mais um atendimento. O paciente da vez é José Ghetti, de 83 anos, que se encontra acamado e necessita de cuidados médicos. Sua esposa, Elba Ghetti, 59 anos, é quem recebe os profissionais e conduz a todos pela escadaria até onde seu José se encontra. Esses cuidados especiais se repetem há cinco anos, devido à condição já debilitada do paciente.

 

“Já conheço todo mundo. E é só ligar que eles estão prontos a chegar. É uma mão de Deus”, conta dona Elba. “Eles não me deixam, é só chamar que chega. Qualquer coisa que eu precisar que eles tiverem lá de material passa com prazer e vem em casa. Me conhecem até pela voz”, relata a esposa, que trata os profissionais como se fossem da família.

 

Leia também

 

Cuidados paliativos: assistência a pacientes e familiares

  

Com atendimento humanizado, pacientes passeiam no Jardim Botânico

  

Espaço humanizado tranquiliza crianças em tratamento

 

Com todo o cuidado que a pandemia exige, a equipe examina e realiza os procedimentos com o paciente. “Ele está acamado e com demência, uma doença progressiva, e também com o Mal de Parkinson. Então, surgiu uma lesão nele – e dela se exigiu uma biópsia”, relata a médica do núcleo, Maria Luíza Bezerra.

 

A médica destaca, também, que o diferencial do NRAD é o atendimento humanizado. Os pacientes atendidos pelo Núcleo, no geral, são pessoas debilitadas, de média a alta complexidade, mas que não necessitam internação hospitalar.

 

A superintendente da Região de Saúde Leste, Raquel Belvilaqua, ressalta que o atendimento domiciliar é benéfico tanto para o paciente quanto para a família dele e, claro, para o sistema público de saúde.

 

“O paciente tem menos riscos de infecções e reinternações. Saindo do hospital, ele desocupa o leito e diminui os custos de uma internação”. A região possui dois núcleos: um no Paranoá e outro em São Sebastião.

 

A equipe é formada por médico, fisioterapeuta, nutricionista, enfermeiro, fonoaudiólogo, técnico de enfermagem. Além das visitas de acompanhamento, também são realizadas coletas de materiais de exames em casa.

 

As equipes também fazem curativos e antibioticoterapia para evitar uma nova hospitalização. Com a pandemia do novo coronavírus, a equipe também está realizando telemonitoramento semanalmente.

 

Atendimento

 

O NRAD do Paranoá atende 44 pacientes com internação domiciliar, sendo que mais três poderão receber acompanhamento quando deixarem o hospital. Só neste ano, já entraram 12 novos pacientes.

 

Com informações da Secretaria de Saúde

AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTE SITE SÃO OFICIAIS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL.
Denúncias e reclamações

Site: www.ouvidoria.df.gov.br

Telefone: 162

Pedidos de acesso à informação: www.e-sic.df.gov.br

Em caso de suspeita: Ligue 190, 193 ou 199

Sites confiáveis para notícias sobre o coronavírus

Agência Brasília: agenciabrasilia.df.gov.br

Secretaria de Saúde do Distrito Federal: www.saude.df.gov.br