Portal COVID 19

Principal Atualizado em 4/02/21 - 16h47

Vigilância Sanitária inicia fiscalização em instituições de ensino privadas

Ação tem o objetivo de verificar o cumprimento das medidas de proteção e prevenção ao novo coronavírus. Uma escola foi autuada e pode ser interditada

 

3/2/21 19:50 AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: ABNOR GONDIM

 

A Diretoria de Vigilância Sanitária (Divisa) da Secretaria de Saúde do Distrito Federal iniciou as ações de fiscalização nas instituições de ensino privadas do Distrito Federal. A iniciativa surgiu da necessidade de garantir que as medidas de prevenção e controle contra o novo coronavírus sejam mantidas no retorno às aulas presenciais.

 

De julho a dezembro de 2020, mais de 520 escolas e faculdades foram visitadas pelas equipes da Divisa. A força-tarefa tem o objetivo de verificar o cumprimento do Decreto 40.939 em escolas, creches e faculdades abertas.

 

Desse total, 88 ações (o equivalente a 15%) aconteceram para atender denúncias registradas pela Ouvidoria-Geral do Distrito Federal e do Ministério Público do Trabalho.

 

Nessa terça-feira (2), a gerente de fiscalização da Diretoria de Vigilância Sanitária, Márcia Olivé, e uma das auditoras da Região de Saúde Central foram até uma escola da Asa Norte, após receberem denúncia formalizada na Ouvidoria-Geral.

 

Irregularidades e atuação

 

Além da falta de distanciamento social nas salas de aula, conforme apontava a reclamação, foram encontradas diversas irregularidades, como número excessivo de alunos no mesmo ambiente, a manutenção de aulas e atividades em grupo no laboratório de robótica sem cumprir a distância mínima de 1,5m entre os alunos, ausência do registro de aferição de temperatura dos funcionários e falta de demarcação das áreas permitidas, por meio de sinalização.

 

A escola foi autuada e terá de solucionar os apontamentos feitos pela Divisa. O não cumprimento dos protocolos pode acarretar na interdição da instituição. Márcia afirmou que a força-tarefa será realizada em todas as escolas, creches e faculdades privadas ao longo do mês de fevereiro. Em março, o mesmo trabalho será iniciado nas instituições públicas de ensino.

 

“Essa fiscalização é importante para garantir que todas as escolas públicas e privadas do Distrito Federal, que retornarem às atividades presenciais, estejam de acordo com as medidas recomendadas pelos órgãos de Saúde. A nossa intenção é evitar que haja aumento no registro de casos positivos da Covid-19 dentro desses estabelecimentos”, explicou.

 

Protocolos e medidas de segurança

 

Para garantir a segurança do estudantes e profissionais, os estabelecimentos de ensino, devem observar as seguintes recomendações sanitárias:

 

– Garantir a distância mínima de 2 metros entre as pessoas;

– Utilizar máscaras de proteção facial;

– Utilização de equipamentos de proteção individual;

– Disponibilizar álcool em gel 70% a todos os funcionários, clientes e frequentadores do estabelecimento;

– Aferir a temperatura de todos que entrarem nos estabelecimentos;

– Proibir a participação nas equipes de trabalho de pessoas consideradas grupos de risco, tais como idosos, gestantes e pessoas com comorbidades;

– Manter os banheiros e demais locais do estabelecimento higienizados e com suprimentos suficientes para possibilitar a higiene pessoal dos empregados, colaboradores, terceirizados, prestadores de serviço e consumidores.

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTE SITE SÃO OFICIAIS DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL.
Denúncias e reclamações

Site: www.ouvidoria.df.gov.br

Telefone: 162

Pedidos de acesso à informação: www.e-sic.df.gov.br

Em caso de suspeita: Ligue 190, 193 ou 199

Sites confiáveis para notícias sobre o coronavírus

Agência Brasília: agenciabrasilia.df.gov.br

Secretaria de Saúde do Distrito Federal: www.saude.df.gov.br